A Climatologia (em geografia) deve procurar reconhecer e destacar estas relações complexas.


EMMANUEL DE MARTONNE
TRATADO DE GEOGRAFIA FÍSICA (1925)

...A intensidade de urbanização, expressa em termos de espaço físico construído, altera significativamente o clima.


MAGDA ADELAIDE LOMBARDO
ILHA DE CALOR NAS METRÓPOLES: O EXEMPLO DE SÃO PAULO (1985)

...para o geógrafo, considerar o clima como sendo resultado de uma média é transformá-lo em uma generalização.


ERCÍLIA TORRES STEINKE
CLIMATOLOGIA FÁCIL (2012)

...podemos extrair vários pontos de relevância na abordagem geográfica do clima.


CARLOS AUGUSTO DE FIGUEIREDO MONTEIRO
O ESTUDO GEOGRÁFICO DO CLIMA (1999)

...o ambiente atmosférico é corresponsável na diversificação espacial do complexo geográfico..


WALTER CECILIO BRINO
CONTRIBUIÇÕES À DEFINIÇÃO CLIMÁTICA DA BACIA DO RIO CORUMBATAÍ...(1973)

...Os estudos de clima urbano têm sido justificados pela expressão que as cidades tomaram nos últimos anos...


MARGARETE C. DE COSTA T. AMORIM
IN OS CLIMAS DAS CIDADES BRASILEIRAS (2002)

Qualquer classificação climática deve acompanhar de perto a realidade viva.


MAX SORRE
OBJETO E MÉTODO DA CLIMATOLOGIA (1934)

Os estudos na área de Climatologia contribuem, de forma cada vez mais intensa, no entendimento das relações dos eventos climáticos com a sociedade.


MARCOS ALEXANDRE MILANESI E EMERSON GALVANI
IN CLIMATOLOGIA APLICADA: RESGATE AOS ESTUDOS DE CASO (2012)

O tratamento do clima urbano, como um dos componentes da qualidade ambiente, não poderá ser considerado insignificante para o mundo moderno.


CARLOS AUGUSTO DE FIGUEIREDO MONTEIRO
TEORIA E CLIMA URBANO (1976)

O sistema climático é complexo, não linear e, à luz do conhecimento atual dos fenômenos físicos, não é possível predizer com baixo grau de incerteza como o sistema reagirá em relação a todas as alterações a que ele está sujeito.


LUCI HIDALGO NUNES (2009)
IN POPULAÇÃO E MUDANÇA CLIMÁTICA: DIMENSÕES HUMANAS DAS MUDANÇAS AMBIENTAIS GLOBAIS

Estudo sobre a qualidade do ar em São Paulo-SP

"Estudo do Programa de Pós-Graduação em Geografia Física (FFLCH USP), avaliou como diferentes superfícies (urbanas ou vegetais) e a quantidade de veículos nas ruas interferem na poluição do ar. O autor, o geógrafo Julio Barboza Chiquetto, analisou as concentrações de ozônio e outros poluentes em diversos pontos da Região Metropolitana de São Paulo.

O trabalho, orientado pela professora Maria Elisa Siqueira Silva e defendido em agosto de 2016, recebeu menção honrosa no Prêmio Capes de Tese 2017, no último dia 10 de outubro de 2017".

Confira a reportagem completa, bem como o acesso a tese de Chiquetto, no site da FFLCH/USP http://fflch.usp.br/node/277

© 2018 - ABClima - Todos os direitos reservados.
Idealização e desenvolvimento: Charlei A. da Silva (2013/2014)
Programação: Excla!m