Mandacaru Quando fulora na seca É o sinal que a chuva chega No sertão


ZÉ DANTAS E LUIZ GONZAGA
O XOTE DAS MENINAS

...devemos prosseguir em atividade, trabalhando com os meios ao nosso alcance pois há uma tarefa enorme a realizar, cujas perspectivas são ilimitadas, sobretudo nas latitudes tropicais onde tanto está ainda por investigar no domínio atmosférico.


JOSÉ BUENO CONTI
CIRCULAÇÃO SECUNDÁRIA E EFEITO OROGRÁFICO NA GÊNESE DAS CHUVAS NA REGIÃO LESNORDESTE PAULISTA (1973)

Os ventos começavam a soprar mais espertos e como agitavam as almas das coisas, arrancando do torpor para a vida.


GRAÇA ARANHA
TRECHO DO ROMANCE CANAÃ

...podemos extrair vários pontos de relevância na abordagem geográfica do clima.


CARLOS AUGUSTO DE FIGUEIREDO MONTEIRO
O ESTUDO GEOGRÁFICO DO CLIMA (1999)

...A intensidade de urbanização, expressa em termos de espaço físico construído, altera significativamente o clima.


MAGDA ADELAIDE LOMBARDO
ILHA DE CALOR NAS METRÓPOLES: O EXEMPLO DE SÃO PAULO (1985)

Quando o juazeiro flora, em novembro, é sinal de inverno tardio.


JOSÉ ERASMO BARREIRA
SERTANEJO DE 67 ANOS DE QUIXADÁ
PROFETA DO CLIMA

...para o geógrafo, considerar o clima como sendo resultado de uma média é transformá-lo em uma generalização.


ERCÍLIA TORRES STEINKE
CLIMATOLOGIA FÁCIL (2012)

Ao longo dos séculos, os observadores do céu, como agricultores, pastores e navegantes, acumularam conhecimentos práticos que permitiram compreender melhor as mudanças do tempo.


PROJETO BRASILEIRO PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA: O TEMPO E O CLIMA (1980)

Ninguém sabe exatamente o que move o pêndulo climático.


BRIAN FAGAN
O AQUECIMENTO GLOBAL: A INFLUÊNCIA DO CLIMA NO APOGEU E DECLÍNIO DAS CIVILIZAÇÕES (2009)

O tratamento do clima urbano, como um dos componentes da qualidade ambiente, não poderá ser considerado insignificante para o mundo moderno.


CARLOS AUGUSTO DE FIGUEIREDO MONTEIRO
TEORIA E CLIMA URBANO (1976)

Estudo sobre a qualidade do ar em São Paulo-SP

"Estudo do Programa de Pós-Graduação em Geografia Física (FFLCH USP), avaliou como diferentes superfícies (urbanas ou vegetais) e a quantidade de veículos nas ruas interferem na poluição do ar. O autor, o geógrafo Julio Barboza Chiquetto, analisou as concentrações de ozônio e outros poluentes em diversos pontos da Região Metropolitana de São Paulo.

O trabalho, orientado pela professora Maria Elisa Siqueira Silva e defendido em agosto de 2016, recebeu menção honrosa no Prêmio Capes de Tese 2017, no último dia 10 de outubro de 2017".

Confira a reportagem completa, bem como o acesso a tese de Chiquetto, no site da FFLCH/USP http://fflch.usp.br/node/277

© 2019 - ABClima - Todos os direitos reservados.
Idealização e desenvolvimento: Charlei A. da Silva (2013/2014)
Programação: Excla!m